Leilão da Receita Federal de Cuiabá: o que aconteceu com os carros de luxo?

No mês de junho a Receita Federal de Cuiabá realizou um leilão com três carros de luxo: um Porsche, uma Lamborghini e um Corvette. Mas afinal, o que aconteceu com os carros?

Leilão de Cuiabá: carros de luxo

Em junho um leilão realizado pela Receita Federal de Cuiabá chamou bastante atenção. Isso porque nesse leilão seriam leiloados três carros de luxo, após uma disputa judicial que se arrasta por anos.  O leilão chamou tanta atenção que até grandes portais, como o G1, chegaram a noticiar o leilão. Com mais detalhes, os veículos leiloados, eram:

  • Porsche Carrera GT 2005/2005. Lance mínimo: R$ 147.536,00
  • Lamborghini Murciélago LP640 2007/2007. Lance mínimo: R$ 249.041,00
  • Chevrolet Corvette 2008/2008. Lance mínimo: R$ 61.983,00
Porsche Carrera GT e Lamborghini Murciélago LP640 não foram leiloados.

 

Porém sempre que os veículos estão para ser leiloados, uma decisão judicial impede o leilão. Após quase 10 anos (o Porsche e a Lamborghini foram apreendidos em 2010), os carros seriam finalmente leiloados. Certo? Errado.

O que aconteceu com os veículos?

Previsto para acontecer no dia 18 de junho, o leilão foi adiado para o próximo dia útil (19/06), devido à uma queda de um backbone que estabelece conexões de internet para os sistemas do governo em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Basicamente, no dia 18 a internet caiu.

Eis que no dia 19/06, às 10:39 o Sistema Leilão Eletrônico da Receita Federal exibe a seguinte mensagem:

“Em cumprimento de decisão judicial, bem como orientação do Serviço de Controle e Acompanhamento Tributário e da Procuradoria da Fazenda Nacional, os veículos dos Lotes 4, 5 e 6, foram excluídos do Leilão Eletrônico 130100/3/2019.”

Uma nova decisão judicial impediu novamente o leilão dos veículos. O curioso é que a mensagem do adiamento do leilão foi registrada no dia 18, enquanto a mensagem comunicando a exclusão dos lotes foi registrada no dia 19. Ou seja, será que se o backbone não tivesse caído, os carros teriam sido leiloados? Ou será que essa queda foi uma desculpa para adiar o leilão enquanto questões judiciais eram resolvidas? Enfim, podemos apenas especular. O fato é que os carros não foram leiloados.

Vários propostas de lances já haviam sido dados pelos veículos, na fase preliminar do leilão. Ou seja, existiam diversas pessoas interessadas em arrematar os veículos e, caso não houvesse um novo problema judicial, provavelmente eles teriam sido arrematados com sucesso.

Para concluir: os veículos não foram leiloados e provavelmente essa novela judicial ainda se arrastará por mais algum tempo.

Caso você queira saber tudo sobre o leilão da Receita Federal, como ele funciona e como participar, você pode ler nosso artigo completo clicando aqui.

Para ver tudo sobre esse leilão de Cuiabá, tendo acesso a todos os documentos, você pode acessar diretamente no site da Receita Federal: http://www25.receita.fazenda.gov.br/sle-sociedade/portal/edital/130100/3/2019